Não entendo nada.

2 fev

Me cego, me xingo, me bato e me ponho pra fora. Em forma de lágrimas salgadas de decepção. Pior do que se decepcionar com os outros é se decepcionar consigo mesmo e não só por uma atitude, mas por uma vida inteira de erros e acertos. Depois me acolho, me abraço, me perdoo e me trago para dentro. Afinal, chorar desse jeito aqui fora é muito perigoso e pode ser fatal para que me julguem fraca. Não sou fraca; pelo contrário: sou muralha e me protejo. Mas hoje eu queria mesmo é fugir. Pior do que querer fugir do mundo é querer fugir de si mesmo. Porque não dá, porque não pode. Porque fugir de si é procurar no outro uma identidade. E o amor-próprio não me permite isso. Pior do que amor ao outro é amar demais a si mesmo. Dói mais. A gente se protege muito mais. E passa por tudo sempre tão sozinho e escondido para que ninguém veja que esse ser de ferro também sofre com as pedradas que a vida distribui. Hoje eu só queria ser a trouxa que dá a vida por fulano. Porque quando a noite cai, é com a trouxa que fulano dorme. Hoje eu queria ser a idiota que não tem opinião própria e se convence com tudo que os outros dizem. Porque a essa hora da madrugada a idiota está dormindo tranquila, já que se a vida der errado, ela já sabe como tercerizar a culpa. Essas palhaças não estão aqui com lapiseira e coração sangrando nas mãos, com uma dor de cabeça absurda por pensar tanta bobeira e só querer fazer as coisas do próprio jeito. Paranóia, excesso de amor próprio ou tendência melancólica… Tanto faz. Eu só queria desabafar, compartilhar e abrir o peito pra tanta gente que não ouve, não lê, não entende nada. Porque talvez essas pessoas sim já saibam o que eu ainda não consegui aprender. Talvez essas pessoas sim saibam de tudo.

Anúncios

5 Respostas to “Não entendo nada.”

  1. Feh 3 de fevereiro de 2011 às 00:32 #

    Às vezes erros grandes o suficiente pra acharmos que muita coisa seria diferente e que deveríamos ser assim,”decididos” como os outros,porém seríamos somente vasos vazios com cores diferentes se fôssemos destinados ao mesmo vago próposito.
    No fim,e só no fim,é que estamos longe o suficiente para ver completamente o quadro,que é a vida.
    ;D

    *gostei mto desse post,deu pra captar bem o sentimento nele

  2. Joanellys 5 de fevereiro de 2011 às 02:05 #

    Olá, desculpa incomodar mas eu vi esse texto que você postou https://letbreak.wordpress.com/2010/05/11/piada/ e só queria dizer que ele é meu. Obrigada por colocar aspas e dizer que é de alguém, porque vi em outros lugares que colocaram como se fossem eles mesmo que o fizeram.
    Só queria dizer mesmo 🙂
    O texto ta aqui no meu fotolog, no dia em que o postei: http://www.fotolog.com.br/joanellys/40731022

    Desculpa qualquer coisa. Beijos :*

  3. Joanellys 5 de fevereiro de 2011 às 02:42 #

    Sim, se puder responder meu cmt, eu agradeceria. ^^
    Beijos e desculpa qualquer coisa de novo 😡

  4. Let 6 de fevereiro de 2011 às 14:21 #

    Olá Joanellys,
    Desculpa pela demora, ando tendo problemas para entrar.
    Quanto ao seu texto, perfeito! Eu não sabia mesmo quem era o autor, pois li em uma comunidade no orkut. Mas de qualquer forma, editarei o post e colocarei seu nome lá.
    Magina, não tem pelo quê se desculpar. E parabéns 🙂 Beijos!

  5. Joanellys 19 de maio de 2011 às 21:15 #

    Fico muito feliz em ler, essa da comunidade em nem sabia 😮
    Muito obrigada mesmo, você não imagina minha sensação nesse momento.
    Beijos, tudo de bom!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: